Skip to content

FUCHS e BASF juntas rumo à sustentabilidade

FUCHS e BASF juntas rumo à sustentabilidade

Há mais de 10 anos que a FUCHS está a desenvolver e a implementar a sua estratégia de sustentabilidade como contributo para a proteção do clima na indústria de lubrificantes. Já a BASF, parceira de componentes de longa data da FUCHS, tem uma sólida história de sucesso na área de proteção ambiental.

Com uma análise de eficiência ecológica (EEA) para diferentes fluidos hidráulicos baseados em óleo mineral, que a FUCHS realizou recentemente com a unidade global de negócios da BASF Fuel and Lubricant Solutions, as duas empresas desenvolveram argumentos sólidos para uma avaliação de sustentabilidade de fluidos hidráulicos que é transversal, realista e factual.

Ao contrário da abordagem atual dominante (abordagem “do berço ao portão”), que apenas avalia uma parte do ciclo da vida de um produto, nomeadamente a fase inicial até à sua produção, a avaliação de diferentes fluidos hidráulicos foi efetuada com uma abordagem “do berço à sepultura” (expressão adotada do inglês “from the cradle to the grave”).

Significa isto que foram avaliados os aspetos ecológicos e económicos dos produtos considerados ao longo de todo o ciclo de vida, desde a aquisição das matérias-primas sobre a produção e a fase de utilização até à eliminação.

Na avaliação “do berço à sepultura” de todos os produtos usados numa escavadora de rastos, os resultados da análise EEA revelaram, de forma notável, o reduzido impacto ambiental e a redução dos custos totais, sobretudo com a utilização do analisado fluido premium HLP (óleo hidráulico multigraduado de alta performance) em comparação com um fluido HLP Standard (óleo hidráulico monograduado).

A vantagem consiste, em primeiro lugar, na otimizada eficiência do gasóleo durante toda a fase de utilização. Esta melhoria na eficiência é alcançada através da otimizada eficiência volumétrica do fluido, do reduzido atrito e da reduzida taxa de circulação de massa do fluido.

Desta forma, compensa, claramente, o impacto ambiental ligeiramente maior dos produtos na fase “do berço ao portão”. Assim, a melhorada eficiência de combustível resultou principalmente da maior eficiência de fluido do óleo hidráulico multigraduado especificamente pré-formulado.

“Com esta análise, prestamos, em conjunto, serviços pioneiros na avaliação de aspetos de sustentabilidade na indústria de lubrificantes”, referiu Lutz Lindemann, diretor técnico da FUCHS PETROLUB SE. “Apreciamos a competência abrangente à volta do tema da sustentabilidade e os métodos analíticos que a BASF introduziu para realizar este projeto comum, em combinação com o know-how prático, realista e relevante na aplicação da FUCHS”, acrescentou.

“Atualmente, a FUCHS e a BASF estão em diálogo sobre outras possíveis análises em conjunto, assim como sobre oportunidades de aplicação do sustentável portefólio de produtos da BASF em componentes para lubrificantes”, revelou o diretor técnico da FUCHS PETROLUB SE.

“A sustentabilidade é um elemento central do nosso negócio”, frisou Julia Frey, vice-presidente do Business Management EMEA Fuel and Lubricant Solutions da BASF SE. “Enquanto fornecedor líder de soluções para os setores industriais em que atuamos, o nosso objetivo é avançar, de forma contínua e em conjunto com os nossos parceiros, com a implementação de uma abordagem factual da sustentabilidade no setor de combustíveis e lubrificantes”, explicou.

A análise é apenas um exemplo da importância extraordinária de uma avaliação “do berço à sepultura” em comparação com uma avaliação “do berço ao portão” e, também, um exemplo da influência de um fluido hidráulico multigraduado especialmente desenvolvido e com um alto VI (índice de viscosidade) numa análise “do berço à sepultura”.

Os fluidos analisados foram, exclusivamente, fluidos hidráulicos de diferentes qualidades com base de óleo mineral. Com a utilização de fluidos hidráulicos à base de éster, os chamados fluidos hidráulicos biodegradáveis (HEES) ainda podem ter outros efeitos positivos para a EEA.

Sabe-se que esses fluidos dispõem de VI altamente estáveis ao cisalhamento e que levam a atritos reduzidos em comparação com os fluidos standard à base de óleo mineral. Outra vantagem para o ambiente é o facto de serem biodegradáveis. Análises de fluidos à base de éster podem vir a ser o próximo passo.